domingo, 20 de maio de 2018

Indicações Literárias Especial Madelaine L' Engle.



Uma dobra no tempo

Um clássico da fantasia e da ficção científica emerge!

Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.

“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.”

O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente... Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço.
Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.

Um vento na porta

Charles Wallace está em perigo. E o mundo todo também.
Quando a família Murry pensava que os problemas haviam terminado, um novo desafio surge. Charles Wallace agora tem seis anos de idade e na escola o menino se tornou um problema. Sofrendo bullying constante, Meg acha que o novo diretor da escola deveria ser responsável pelo menino, mas Charles Wallace fica terrivelmente doente antes que ela possa ajudá-lo.
Mas há algo estranho acontecendo. Charles Wallace diz a Meg que há dragões no quintal de casa e ela descobre que os dragões na verdade são Proginoskes, querubins feitos de asas, vento e chamas. E mais uma vez este é só o começo de uma nova aventura, onde Meg e seu amigo Calvin precisam correr contra o tempo para salvar seu irmãozinho. E, para fazer isso, eles devem partir em uma viagem para dentro do corpo do menino e lutar para restaurar a brilhante harmonia do universo.
Junte-se a Meg, Calvin e Charles Wallace nesta nova aventura repleta de seres incomuns, mundos novos e muitos heróis que precisam ultrapassar seus medos para salvar o mundo!


Um planeta em seu giro veloz

Um unicórnio, um menino e o vento, juntos em uma só velocidade! Quando Charles Wallace Murry, agora com quinze anos, grita em desespero a invocação de uma antiga runa para afastar a escuridão, uma criatura radiante aparece. É Gaudior, unicórnio e viajante do tempo. Charles Wallace e Gaudior devem viajar até o passado através dos ventos do tempo e tentar encontrar um Pode-Ter-Sido, um momento do passado em que todos os eventos que se seguiram até o presente podem ser mudados, e o futuro da Terra – esse pequeno planeta em seu giro veloz – pode ser salvo.

Os outros titulos da coleção serão publicados no Brasil em breve.

domingo, 13 de maio de 2018

Cine Pipoca #012


Olá, deixo aqui as melhores indicações de filme deste semestre. Destacando o filme 'oito mulheres e um segredo' pelo elenco incrível. Diversão garantida!





Também poderá gostar de: Cine Pipoca #011

domingo, 6 de maio de 2018

Livro: Os Judeus Que Construíram o Brasil - Anita Novinsky.


Um capítulo escondido do Brasil. Uma passagem mantida em sigilo. Um passado que envergonha a todos- a fatídica história da Inquisição portuguesa que transferiu para a colônia a perseguição aos judeus. Discriminação, racismo, mortes. Esta é a grande revelação que traz o livro "Os judeus que construíram o Brasil" - fontes inéditas para uma nova visão da história. Resultado de pesquisas realizadas em todo o mundo e, em especial, no até então secreto arquivo do Santo Ofício da Inquisição, esta obra mostra como os judeus e os cristãos novos foram perseguidos nos séculos XVI, XVII e XVIII. A Inquisição contra os judeus foi autorizada pelo Papa e começou em 1478 na Espanha e em 1536 em Portugal. Mas só no final do século XVI, em 1591, os portugueses mandaram quadros para o Brasil a fim de vigiar e perseguir os judeus. Distante da Europa, o país foi o destino de muitos convertidos, os cristãos-novos. Neste livro, as historiadoras Anita Novinsky, Daniela Levy, Eneide Ribeiro e Lina Gorenstein contam como a Inquisição prendeu mais de mil pessoas, sendo que 29 morreram, além de provocar o desaparecimento de outras mil e de arruinar com famílias em todo o país.


domingo, 22 de abril de 2018

Livro: Direto de Washington - W. Olivetto Por Ele Mesmo.


Washington Olivetto é um dos maiores publicitários brasileiros, criador de algumas das mais marcantes, emocionantes e divertidas campanhas da propaganda nacional. Neste livro ele conta algumas histórias que ajudam a compreender como o grande publicitário criou o seu melhor personagem: ele próprio. Washington Olivetto é o publicitário que não quis ser apenas um grande publicitário. Resolveu ser um homem de negócios que se transformou num pop star. Ganhou o primeiro Leão de Ouro do Brasil em Cannes, conquistou todos os prêmios da publicidade mundial, entrou para o Guinness Book of Records, inspirou personagem de novela, virou letra de músicas de sucesso, nome de pratos em restaurantes famosos, selo do correio do seu país, vice-presidente do seu time de futebol, cidadão carioca sendo paulista, commendatore italiano sendo brasileiro. Washington Olivetto está no Lifetime Achievement do Clio e foi o primeiro não anglo-saxão a entrar para o Hall of Fame do One Club de Nova York.


domingo, 15 de abril de 2018

Trailer de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald.


Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, da Warner Bros. Pictures, é a segunda das cinco novas aventuras do Mundo Bruxo de J.K. Rowling.

No final do primeiro filme, o poderoso mago das trevas Gellert Grindelwald (Johnny Depp) foi capturado pelo MACUSA (Congresso Mágico dos Estados Unidos da América) com a ajuda de Newt Scamander (Eddie Redmayne). Contudo, cumprindo sua promessa, Grindelwald fugiu da prisão e passou a reunir seguidores que, na maioria dos casos, desconheciam suas verdadeiras intenções: criar magos de sangue puro para dominar todos os seres não mágicos.

Na tentativa de frustrar os planos de Grindelwald, Albus Dumbledore (Jude Law) recruta seu ex-aluno Newt Scamander, que concorda em ajudá-lo, sem saber dos perigos que enfrentará pelo caminho. Dois lados se enfrentam, à medida que o amor e a lealdade são postos à prova, até mesmo entre amigos e famílias, em um mundo de bruxaria cada vez mais dividido.

O filme é estrelado por Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol e Ezra Miller, com Jude Law e Johnny Depp. O elenco ainda inclui Zoë Kravitz, Callum Turner, Claudia Kim, William Nadylam, Kevin Guthrie, Carmen Ejogo e Poppy Corby-Tuech.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald é dirigido por David Yates, a partir de um roteiro de J.K. Rowling. O filme é produzido por David Heyman, J.K. Rowling, Steve Kloves e Lionel Wigram.

Com estreia marcada para 16 de novembro de 2018, o filme será distribuído mundialmente em versões 2D e 3D, em salas selecionadas; e IMAX, pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Bros. Entertainment.

domingo, 8 de abril de 2018

Comentando sobre o Filme Jogador Nº 1.


Em 2045 jogos e plataformas com realidade aumenta os VR's de hoje em dia, vão ter dominado a realidade. A internet que conhecemos hoje entrará em colapso em alguns anos, corporações monopolizando o mercado. Tudo será voltado para simuladores de realidade virtual (OASIS como é chamado). Entrar numa plataforma de jogos será a única opção de emprego exigindo conhecimento de vários console de épocas bem distintas tendo o domínio da cultura pop. Sua vida literalmente será imposta na quantidade que você possuir de créditos no OASIS. O mundo inteiro se encontra em uma única plataforma que tem infinitos ambientes para os diferentes tipos de jogadores. Ideal para alguém construir uma vida apoiando-se em seus avatares e codinomes nunca revelando sua verdadeira identidade e local onde se conecta. Feito para esquecer a realidade fatídica de cada um dos usuários do sistema. Esse é o magnífico mundinho de Wade Watts e assim passa maior parte de seu tempo entre o quase real e a realidade sórdida que nos oprime.

No filme Wade é um aficionado pelo criador da plataforma. Gasta maior parte do tempo conectado no OASIS, escarafunchando as nuances de James Halliday do porque o jogo ser tão especial e de quebra obter algumas dicas valiosas para evoluir mais rapidamente e assim gerando uma popularidade que ele jamais teria no mundo real.

Resumindo é um filme distópico, mas prestando atenção percebe – se não estamos muito longe desta realidade. Não vou negar que é mais um blockbuster, mas como sacadas pra lá de geniais. Destaque também para a trilha sonora que só tem músicas divinas dos anos 80.


domingo, 25 de março de 2018

Filhos de Nazistas - Os Impressionantes Retratos de Família da Elite do Nazismo por Tania Crasnianski.


Até 1945, seus pais eram considerados heróis. Depois da derrota alemã, ficou claro que eram carrascos. Gudrun, Edda, Niklas e os outros retratados neste livro são os filhos de Himmler, Göring, Hess, Frank, Bormann, Höss, Speer e Mengele, alguns dos principais responsáveis pelo horror nazista. Crianças ou adolescentes durante a guerra, eles a viveram sob a proteção de seus pais afetuosos e poderosos. Para eles, a queda do Reich foi um verdadeiro choque de realidade. Inocentes, inconscientes dos crimes de seus pais, descobriram então toda a sua extensão. Alguns julgaram e condenaram. Outros continuaram reverenciando esses homens execrados por toda a humanidade. Filhos de nazistas retrata a ascensão e o cotidiano, ao mesmo tempo extraordinário e banal, desses altos funcionários que realizavam diariamente seu trabalho de morte – e depois conviviam com suas famílias, instaladas por vezes ao lado dos campos de concentração e extermínio – e descreve as existências singulares de seus filhos ao se tornarem adultos: a queda, a miséria, a vergonha ou o isolamento.
Que laços eles mantiveram com seus pais? Como viver com um nome amaldiçoado pela História? Em que medida a responsabilidade pelos crimes é transmitida aos descendentes?
 

domingo, 18 de março de 2018

Livro Os bebês de Auschwitz - Wendy Holden.


Em 1944, Priska, Rachel e Hanka chegaram a Auschwitz determinadas a defender a vida dos bebês que levavam em seus ventres. Examinadas pelo Dr. Josef Mengele, conhecido como “o anjo da morte”, as três mentiram sobre seu estado e fizeram tudo ao seu alcance para sobreviver. Em Os bebês de Auschwitz, Wendy Holden narra às histórias dessas jovens judias que resistiram bravamente ao horror dos campos de concentração e aos trabalhos forçados na esperança de conhecerem seus filhos. Além de investigar o passado, Holden acompanhou o reencontro de Eva, Mark e Hana, os três sobreviventes nascidos dentro das instalações nazistas. Holden equilibra a pesquisa rigorosa e a escrita sensível para reconstituir as vidas de Priska, Rachel e Hanka antes de 1938, quando Hitler começou a impor restrições aos judeus. Entre o medo do avanço Reich e a esperança pelo fim da guerra, essas mulheres viveram seus primeiros amores, se casaram e sonharam com o futuro de suas famílias apesar do horizonte sombrio que se desenhava. Priska e Tibor, Rachel e Monik, e Hanka e Bernd fizeram tudo que estava ao seu alcance para permanecerem juntos, mas com a deportação para Auschwitz os casais foram separados. Cada uma das mulheres se viu responsável por lutar por sua vida e pela de seu bebê. Elas receberam caridades inesperadas, foram vistas com desconfiança e testemunharam o melhor e pior do que o ser humano é capaz. Wendy Holden recorreu a entrevistas, cartas e diários, criando um relato comovente, que detalha a eficiência com a qual os nazistas exterminaram milhares de judeus e mostra como pequenos gestos de solidariedade permitiram que várias vidas fossem salvas. Mais que um relato sobre o horror da guerra, Os bebês de Auschwitz é narrativa impressionante sobre o amor materno, a persistência, a coragem e a gratidão.

domingo, 11 de março de 2018

Viajando pelas Séries #011 - Stranger Things.


Stranger Things é uma série americana de ficção científica e terror, fruto da parceria e criatividade dos irmãos Matt e Ross Duffer, tendo como produção co-executiva Shawn Levy e Dan Cohen, sendo distribuída pela Netflix.

A série se passa na década de 1980, e é altamente tematizada pelos elementos culturais da época, com uma trilha sonora toda remetente aos marcantes sintetizadores da época e inúmeras referências às obras de Steven Spielberg, John Carpenter e Stephen King, considerados as grandes inspirações dos Irmãos Duffer para a realização do projeto. Na trama um garoto desaparece misteriosamente na pequena cidade de Hawkins, Indiana, e faz seus amigos partirem por sua busca, que, no caminho, encontram uma estranha garota com poderes telecinéticos.

A primeira temporada foi disponibilizada em 15 de julho de 2016 e contém oito episódios, sob roteiro e direção dos irmãos Matt e Ross Duffer e produção de Shawn Levy. A primeira temporada recebeu críticas bastante positivas pela sua caracterização, ritmo, atmosfera, atuações, trilha sonora, direção, roteiro e homenagens a filmes do gênero da década de 1980.
Stranger Things originalmente chamaria-se Montauk, e se passaria na cidade de mesmo nome, em Nova York, Estados Unidos. No entanto, acabou sendo filmada em Jackson, Geórgia, nos Estados Unidos.
A série em pouquíssimo tempo ganhou milhares de seguidores ávidos por cada episodio que é lançado.

Sinopse
A série se passa na cidade rural fictícia de Hawkins, em Indiana, nos Estados Unidos, durante a década de 1980. O Laboratório Nacional de Hawkins, nas proximidades, ostensivamente realiza pesquisas científicas para o Departamento de Energia dos Estados Unidos, mas, secretamente, realiza experimentos paranormais e sobrenaturais, incluindo experimentos que envolvem pessoas em testes humanos, que começam a afetar os moradores inconscientes de Hawkins de maneiras calamitosas.

1ª temporada (2016)
Em novembro de 1983, na pequena cidade de Hawkins, Indiana, um garoto de 12 anos, Will Byers desaparece misteriosamente. A mãe de Will, Joyce, torna-se frenética e tenta encontrar Will, enquanto o chefe de polícia Jim Hopper começa a investigar, assim como os amigos de Will: Mike, Dustin e Lucas. Uma menina psicocinética que sabe o paradeiro de Will é encontrada pelos garotos. À medida que eles descobrem a verdade, uma sinistra agência do governo tenta encobri-los, enquanto uma força mais insidiosa espreita logo abaixo da superfície.

2ª Temporada (2017)
Um ano após os eventos do desaparecimento de Will, o garoto voltou para casa e para a companhia de seus amigos, mas ainda está conectado ao Mundo Invertido. Mesmo depois de tanto tempo, a pequena cidade de Hawkins, Indiana, não está completamente a salvo e não demora muito até que fragmentos do Mundo Invertido façam seu caminho até eles novamente.

3ª Temporada (2019)
A série terá sua 3ª temporada em 2019, assim afirmou a Netflix.


Você também poderá gostar de: Viajando pelas Séries #010 - The Blacklist.

sábado, 10 de março de 2018

A Eterna Magia do Efeito Harry Potter 20 Anos Depois.

Olá pessoal, não é segredo que sou potterhead. Vi a homenagem que o google carinhosamente fez a essa saga e resolvi compartilhar de um jeitinho especial. Vejam!!

Rebecca McNally, diretora de edição de livros infantis da Bloomsbury, fala sobre o poder que a série ainda tem.

Parte do trabalho dela é garantir que os livros da série Harry Potter criados pela editora alcancem novas gerações de leitores. Isso se manifesta em projetos como as recentes edições da série Harry Potter da Bloomsbury ilustradas por Jim Kay. "Uma coisa boa sobre o mundo dos livros infantis é que sempre há novos leitores de oito a nove anos que não descobriram a alegria de Harry Potter ainda", diz Rebecca.

"É muito poderoso ser uma escritora de livros infantis porque seus livros estão em mãos dessas crianças, muitas vezes, criando uma fuga para quando elas estiverem em um momento ruim", ela continua. "Viver emoções, perigo, alegrias, escuridão e amor no conforto da sua poltrona é a magia da leitura. E é tão poderosa em Harry Potter em todos os sete livros".

Como conhece as maneiras pelas quais Harry Potter conseguiu capturar a imaginação de crianças (e adultos) em todo o mundo, aqui, Rebecca explica o impacto do chamado "efeito Harry Potter" e o significado desse efeito para o cenário da publicação infantil. Juntamente com as respostas de Rebecca, você vai encontrar alguns dos rascunhos anotados de JK Rowling, esboços iniciais de personagens e planos detalhados para uma visão ainda maior da criação de uma das séries de livros mais bem sucedidas de todos os tempos.

O que significa o “efeito Harry Potter”?

O mais correto, provavelmente, é falar dos efeitos no plural. É difícil definir exatamente, mas existem alguns efeitos realmente concretos. Um deles se refere aos números do UK Bookscan [a operação que rastreia as vendas nos caixas de livrarias no Reino Unido]. Em 1998, havia cerca de 34 milhões de livros infantis vendidos, em 2016, eram 64 milhões, então, esse é um efeito muito palpável de Harry Potter. Obviamente, não é o único fator responsável por isso, mas acho que Harry Potter criou uma mudança de paradigma que tornou isso possível.

O outro efeito importante e maravilhoso é a magia de ler os livros e o efeito que eles têm sobre seus leitores. Para a primeira geração de leitores que cresceram com essa magia, a experiência era algo completamente novo. Ninguém sabia o que aconteceria naqueles livros, e eles ficavam esperando o próximo. De repente, a publicação de um livro era transformada em um acontecimento.

Agora, a literatura infantil como campo de atuação está cheia de talentos, e há uma nova geração de escritores chegando, que foram os fãs originais de Potter e cujo amor pelos livros e pela leitura foi moldado por essa experiência extraordinária.

De que forma, isso encorajou as crianças a continuar lendo?

Nos primeiros anos, o fenômeno de Harry Potter transformou os livros e a leitura em uma atividade compartilhada, e havia uma amplitude do poder de atração, o que trazia pessoas que não eram leitores habituais.

Curiosamente, ao mesmo tempo, no final dos anos 1990, no início dos anos 2000, houve muitas iniciativas realmente positivas em torno da leitura e alfabetização, o que realmente ajudou a promover o efeito. Em 1998, foi criado o ano nacional de leitura que teve apoio do governo e, depois, começaram a apoiar o Bookstart, que disponibiliza livros para crianças em idade pré-escolar gratuitamente.

A série Harry Potter, em si, é um farol para a magia da leitura que atraiu pessoas de todos os tipos de comunidades e ainda funciona!


Em que ponto Harry Potter deixou de ser apenas uma série de livros e se tornou um fenômeno cultural? Houve um ponto de transformação?
Se fosse para responder isso em termos de vendas brutas, foi a publicação do Prisioneiro de Azkaban. Depois disso, tudo começou a acelerar. Mais tarde, os filmes trouxeram novos públicos, então, os livros e filmes praticamente geravam público uns para os outros.

Acho que só agora podemos realmente dizer que Harry Potter é um fenômeno cultural persistente e importante. Faz 20 anos da publicação do primeiro livro, e há fenômenos que vão e voltam, mas Harry está claramente aqui para ficar.

O que diferencia Harry Potter de séries anteriores de sucesso como Os Cinco ou As Crônicas de Nárnia por exemplo?
Harry Potter quebrou muitas regras no mundo dos livros infantis. Nós costumávamos pensar que um livro para crianças nunca deveria ter mais de 60 mil palavras e que seus personagens deveriam permanecer com a mesma idade em toda a série.
A ficção de séries comerciais às vezes era bastante padronizada, embora bastante viciante. Você esperava que houvesse certos elementos e havia. Com Harry Potter, a trama levava você a lugares completamente novos.

Há elementos, em Harry Potter, que existem, naturalmente, em outros livros, mas combinar coisas que são muito comuns com uma explosão de imaginação realmente extraordinária, junto com a confiança de explorar temas extremamente sombrios e manter o tom de um livro de crianças. Foi simplesmente e incrivelmente novo e diferente. E ainda é até hoje.


Não era esperado que os livros fossem fazer sucesso, na época. Qual o motivo disso na sua opinião? Como era o cenário editorial na época?

Em 1997, quando o primeiro livro foi publicado, a maioria das grandes editoras costumava ter uma divisão infantil, mas ninguém tinha expectativas comerciais significativas. Há muitas lendas sobre as origens de Harry Potter, como a que diz que o livro foi recusado por doze editores e depois chegou à Bloomsbury. Mas não se pode dizer que a Bloomsbury não tinha ambições para ele.

Eu não estava lá na época, mas sei que houve uma expectativa palpável sobre o livro. Mas antes de ser adquirido, o livro teve que ser aprovado por uma reunião que foi presidida por nosso fundador e diretor executivo, Nigel Newton. Nigel pegou os três capítulos que recebeu em casa e os entregou à filha dele de oito anos que escreveu um bilhete para ele dizendo que queria ler o resto imediatamente. A história criava um amor e uma expectativa genuína e, embora seja verdade que a Bloomsbury não pagou muito por ele, ninguém pagava muito por livros infantis naquela época! E acho que o que as pessoas pensavam ser um primeiro livro infantil de sucesso, na época, não era nada perto do que realmente aconteceu.

Qual é o papel da série na inspiração de outras ficções para crianças e jovens?
Acho que há uma geração inteira de escritores agora que são escritores porque se apaixonaram pela leitura de Harry Potter. Mas isso não significa que há um vínculo direto entre o conteúdo de Harry Potter e trabalho dessa nova geração.

Claro que, depois de Harry Potter, houve uma série de franquias verdadeiramente bem-sucedidas, como Crepúsculo, Jogos Vorazes, que são fenômenos por mérito próprio. Os fenômenos para jovens são interessantes porque tendem a ser mais cíclicos. Por exemplo, Crepúsculo dominou as estatísticas de livros por três ou quatro anos e, depois, foi sucedido por Jogos Vorazes. Harry Potter é diferente desses exemplos pela posição duradoura. Mesmo no ano passado, que foi o 20º aniversário do livro, nossa edição regular de Harry Potter e a Pedra Filosofal foi o 10º livro infantil mais vendido.


Quais são os desafios quando uma série de livros tem tanto sucesso? Outros livros podem competir?
O fato é que, quando se trata de livros, não há realmente uma competição. No entanto, como editor ou como escritor, você gosta quando os livros ganham prêmios ou vendem bem. No longo prazo, o valor dos livros é realmente a experiência de lê-los.

Contudo, nada pode realmente competir com Harry Potter porque, para ser realmente honesta sobre isso, trata-se de um fenômeno que acontece uma vez por geração. Foi recentemente anunciado que a série já vendeu mais de 500 milhões de livros em todo o mundo, o que é uma quantidade extraordinária de livros.

Quando Harry Potter começou a ganhar ímpeto, houve pressão para encontrar a próxima grande série?
Naquele momento, definitivamente havia uma sensação de oportunidade. Acho que é isso que Potter criou na publicação infantil. Então, você pode ver isso como pressão ou também pode ver como algo que fez com que as pessoas vissem o potencial dos livros infantis de forma diferente.

As editoras ficaram entusiasmadas com o potencial de um livro alcançar um público tão amplo, e o impacto disso é visível até hoje. O mercado de livros infantis tem crescido consistentemente nos últimos cinco anos.

O que você diria sobre Harry Potter para convencer alguém que ainda não leu os livros a lê-los?
Para alguém que não leu os livros, eu diria que você tem que se permitir o tempo e espaço para ter a experiência real de ler a série toda. Permita-se perder-se nos livros.

Particularmente para os leitores adultos, às vezes, a amplitude e a ambição do texto de Jo realmente ficam claras no Prisioneiro de Azkaban. Acho que há um pico de fato. Você pode ver a construção dele em A Pedra Filosofa e A Câmara Secreta, mas, no terceiro livro, é o auge. Para mim, Azkaban é o favorito, mas não conte a ninguém!

FonteArts and Culture Google

domingo, 4 de março de 2018

Livro: O Conto da AIA por Margaret Atwood.


A história de 'O conto da aia' passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes - tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos. Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América. As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado - há as esposas, as marthas, as salvadoras etc. À pobre Offred coube a categoria de aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar. Offred tem 33 anos. Antes, quando seu país ainda se chamava Estados Unidos, ela era casada e tinha uma filha. Mas o novo regime declarou adúlteros todos os segundos casamentos, assim como as uniões realizadas fora da religião oficial do Estado. Era o caso de Offred. Por isso, sua filha lhe foi tomada e doada para adoção, e ela foi tornada aia, sem nunca mais ter notícias de sua família. É uma realidade terrível, mas o ser humano é capaz de se adaptar a tudo. Com esta história, Margaret Atwood leva o leitor a refletir sobre liberdade, direitos civis, poder, a fragilidade do mundo tal qual o conhecemos, o futuro e, principalmente, o presente.


"Mesmo lançado a décadas atrás, é difícil não associá-lo ao contexto político e preocupações sociais atuais, faz pensar e refletir sobre o que está ao nosso redor."

"Narrativa intrigante que nos leva a pensar e refletir sobre tudo e sobre todos. Sensacional!"

domingo, 25 de fevereiro de 2018

CINE PIPOCA #011


Olá, deixo aqui algumas sugestões de filmes que achei interessante compartilhar. Veja!








Também poderá gostar de: Cine Pipoca 10.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

O LIVRO DE JÔ - Uma Autobiografia Desautorizada - Vol. 1 Jô Soares e Matinas Suzuki Jr.

Em seu aguardado livro de memórias (desautorizadas!), Jô Soares ilumina os bastidores da própria vida com humor e inteligência irresistíveis.

Com verve mais afiada do que nunca, Jô Soares compartilha sua trajetória de astro midiático num livro de memórias escrito para fazer rir, chorar e, sobretudo, não esquecer.

O primeiro volume resgata fatos, lugares e pessoas marcantes da juventude de Jô e reconstitui seus primeiros passos no mundo dos espetáculos, nas décadas de 1950 e 1960. Entre a infância dourada no Copacabana Palace e a dura conquista do estrelato, acompanhamos o autor do nascimento aos trinta anos. Os antecedentes familiares, a meninice privilegiada nos palácios da elite carioca, a mudança para um internato na Suíça, os marcos da formação cultural do futuro showman na adolescência, a paixão pelo jazz, a estreia modesta em pontas no cinema e na televisão, o primeiro casamento e, finalmente, a conquista do sucesso numa São Paulo fervilhante: tudo que você sempre quis saber sobre Jô, ele mesmo conta, com o talento narrativo do romancista de O Xangô de Baker Street e O homem que matou Getúlio Vargas.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Livro: Leornardo da Vinci - Walter Isaacson.



Com base em milhares de páginas dos impressionantes cadernos que Leonardo manteve ao longo de boa parte da vida e nas mais recentes descobertas sobre sua obra e sua trajetória, Walter Isaacson, biógrafo de Einstein e Steve Jobs, tece uma narrativa que conecta arte e ciência, revelando faces inéditas da história de Leonardo. Desfazendo-se da aura de super-humano muitas vezes atribuída ao artista, Isaacson mostra que a genialidade de Leonardo estava fundamentada em características bastante palpáveis, como a curiosidade, uma enorme capacidade de observação e uma imaginação tão fértil que flertava com a fantasia.

Leonardo criou duas das mais famosas obras de arte de todos os tempos, A Última Ceia e Mona Lisa, mas se considerava apenas um homem da ciência e da tecnologia - curiosamente, uma de suas maiores ambições era ser reconhecido como engenheiro militar. Com uma paixão que às vezes se tornava obsessiva, ele elaborou estudos inovadores de anatomia, fósseis, o voo dos pássaros, o coração, máquinas voadoras, botânica, geologia, hidráulica, armamentos e fortificações. A habilidade para entrelaçar humanidades e ciência, tornada icônica com o desenho do Homem vitruviano, fez dele o gênio mais criativo da história.
Filho ilegítimo, à margem da educação formal, gay, vegetariano, canhoto, distraído e, por vezes, herético, o Leonardo desenhado nesta biografia é uma pessoa real, extraordinária pela pluralidade de interesses e pelo prazer que tinha em combiná-los. Um livro indispensável não só pelo caráter único de representar integralmente o artista Leonardo, mas como um retrato da capacidade humana de inovar, da importância de não apenas assimilar conhecimento, mas ter a disposição para questioná-lo, ser imaginativo e, como vários desajustados e rebeldes de todas as eras, pensar diferente.

domingo, 28 de janeiro de 2018

Comentando sobre o Livro 'As Memórias da Segunda Guerra Mundial - Winston Churchill. Série de dois Volumes.


Do momento mais sombrio e glorioso da Inglaterra até a Grande Aliança e a vitória final, a Segunda Guerra Mundial continua a ser o evento mais marcante do século XX. Sem dúvida, o momento formador do mundo em que vivemos hoje. A HarperCollins Brasil lança esta edição em dois volumes da histórica obra de Winston Churchill sobre os anos cruciais de formação, desenvolvimento e conclusão do conflito, abarcando desde 1919 até 1945. Neste primeiro volume, Churchill reconstrói com minúcia e ritmo os principais eventos ocorridos entre 1919 e junho de 1941: desde as contendas geradas pelo Tratado de Versalhes, a fulgurante ascensão de Hitler, o novo quadro político europeu até a invasão da então União Soviética pela Alemanha.

Sir Winston recebeu o Prêmio Nobel de Literatura de 1953 pela sua extensa obra literária.

"Uma inteligência prodigiosa, um perfeito senso de história e um dom da palavra jamais igualado entre os homens do poder."
— Chicago Tribune

"Poucos livros pertencem à categoria dos grandes acontecimentos. Memórias da Segunda Guerra Mundial, de Winston Churchill, é um deles."
— The New York Times

domingo, 21 de janeiro de 2018

Livro A História da Primeira Guerra Mundial - David Stevenson.

No verão de 1914, a Europa explodiu em um frenesi de violência em massa. A guerra que se seguiu teve repercussões globais, destruindo quatro impérios e custando milhões de vidas. Mesmo os países vitoriosos foram marcados por uma geração, e ainda hoje permanecem dentro da sombra do conflito. Nesta nova e monumental analise, agora lançada num Box em quatro volumes o renomado historiador David Stevenson reexamina as causas, a evolução e as repercussões desta “guerra para acabar com a guerra”, colocando-a no contexto de sua época e expondo suas dinâmicas subjacentes.

Um banho de sangue brutal nas trincheiras e um retrato do seu povo que passava fome e outras necessidades durante o período. O início de tudo!

domingo, 14 de janeiro de 2018

Livro A Elite do Atraso - Da Escravidão à Lava Jato por Jessé Souza.


Numa época em que a questão das desigualdades racial e social estão, mais do que nunca, no centro de cena – dos grandes veículos de comunicação aos comentários nas redes sociais e até mesmo nas conversas das mesas de bar, onde todos parecem ter uma ideia muito bem definida do que é capaz de construir um país ideal –, o sociólogo Jessé Souza escancara o pacto dos donos do poder para perpetuar uma sociedade cruel forjada na escravidão. Esse é o pilar de sustentação de nossa elite, A Elite do Atraso. Depois da polêmica aberta pela obra A Tolice da Inteligência Brasileira e da contundência exposta em A Radiografia do Golpe, o autor apresenta obra surpreendente, forte, inovadora e crítica na essência, com um texto aguerrido e acessível. A Elite do Atraso é um livro para ser apoiado, debatido ou questionado – mas será impossível reagir de maneira indiferente à leitura contundente de Jessé Souza a ideias difundidas na academia e na mídia.

Mais informações em: cartacapital.com.br

domingo, 7 de janeiro de 2018

Viajando pelas Séries #010 - The Blacklist

The Blacklist é uma série de televisão norte-americana do gênero espionagem, drama policial e ação. Estreou em 23 de setembro de 2013 na rede NBC, e no Brasil uma semana depois, em 1 de outubro de 2013, no canal de televisão paga Sony. A segunda temporada se iniciou em 22 de setembro de 2014. A partir de outubro de 2015 a Rede Globo passou a exibi-lo em TV aberta. A série também está disponível no Brasil através da Netflix. Em 2017 a série foi renovada para 5ª temporada.
Sinopse
Raymond Reddington, o criminoso mais procurado pelo FBI, entrega-se às autoridades. Promete entregar diversos criminosos e terroristas desde que por intermédio exclusivo de Elizabeth Keen, uma agente novata do FBI. Aparentemente não há ligação entre eles, sendo certo que este também não revela o motivo dessa preferência.
Segundo ele, a lista foi criada ao longo de mais de vinte anos, esta lista contém políticos, mafiosos, hackers, espiões e criminosos de alta periculosidade que a organização nem sabe da existência, tornando-a famosa lista dos foragidos mais procurados pelo FBI, em que pese mostrar-se na prática mera peça de publicidade.
Entretanto, para divulgar outros nomes, ele impõe algumas condições como segurança pessoal e imunidade legal irrestrita, mas principalmente, negociar somente com a agente Keen. Tanto o FBI como Elizabeth, mesmo relutantes, passam a agir conforme as revelações de Reddington, as quais se mostram de grande utilidade.



Também poderá gostar de: Viajando pelas Séries #09 - Gotham