quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Livro: Expresso da Meia-Noite do Autor Billy Hayes.


Conheça melhor a história de “Expresso da Meia-Noite”, o livro que inspirou o filme ganhador do Oscar.
Em 1970, Billy Hayes era um estudante de Letras que havia largado a faculdade em busca de aventuras que serviriam de inspiração para seus escritos, tal qual seu herói Jack London. Seu despertar foi doloroso: preso no aeroporto de Istambul ao tentar embarcar em um avião carregando dois quilos de haxixe presos ao corpo, pegou pena de prisão perpétua. Depois de cinco anos brutais, esforços implacáveis por parte de sua família para conseguir sua soltura e infinitos planos de fuga, Hayes enfim decidiu resolver a questão com as próprias mãos. Numa noite escura, durante uma grande tempestade, ele deu início a sua ousada e desesperada fuga rumo à liberdade… Esta é a espantosa jornada, contada com as palavras do próprio Billy Hayes, desses cinco anos de inferno na terra e da provação angustiante pela qual passou durante a fuga.

sábado, 20 de agosto de 2016

Livro: Noite Sobre as Águas - Ken Follett


Setembro, 1939. Poucos dias após o Reino Unido declarar guerra à Alemanha, um enorme hidroavião está prestes a partir da costa sul da Inglaterra. A aeronave mais luxuosa do mundo tem como destino Nova York, no que deve ser o último voo civil a sair da Europa antes do conflito. A bordo dela encontram-se tanto a nata da sociedade quanto a escória da humanidade. Contudo, não é apenas a guerra que motiva os passageiros a deixar o continente- eles também querem se distanciar do próprio passado. Confinados por trinta horas em meio a todo o conforto, porém numa época em que voar ainda é um empreendimento arriscado, eles veem a travessia do Atlântico se tornar uma viagem de crescente angústia, com perigos inesperados que os conduzem a uma tempestade de violência, intriga e traição. Em Noite sobre as águas, Ken Follett exibe mais uma vez sua escrita magistral ao narrar as histórias dos mais diferentes personagens e fazê-las colidir neste emocionante voo cinco estrelas.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Cine Pipoca 9.


Olá pessoal, deixo aqui algumas sugestões de filmes.


O longa conta a história real de Desmond T. Doss (Andrew Garfield), um homem religioso que se recusou a usar armas enquanto serviu o exército americano durante a Segunda Guerra Mundial. Como o vídeo revela, isso não é visto com bons olhos por seus colegas soldados. Mas, na hora da batalha, o moço está decidido a salvar vidas, se tornando o primeiro objetor de consciência condecorado com a Medalha de Honra.
Hacksaw Ridge será exibido no Festival de Veneza 2016, mas ainda não ganhou data de estreia no Brasil.





Kurt Sloan e seu irmão, David Sloan, são campeões de uma dinastia de lutadores na Califórnia. Após vencer campeonato mundial de karatê, David é atraído por um sombrio produtor a ser levado para Hong Kong. Quando David morre, Kurt, com a ajuda de Xian Chow (Jean-Claude Van Damme), ex-treinador de David, deve dominar as artes marciais para combater Tong Po (Dave Bautista), um kickboxer mortal que assassinou seu irmão.
Estreia 2 de setembro no vietnã sem previsão para o Brasil.




Matt Damon retorna para seu papel mais icônico em Jason Bourne. Paul Greengrass, o diretor de "A supremacia Bourne" e "O Ultimato Bourne", novamente se junta a Damon para o próximo capítulo da franquia Bourne da Universal Pictures, na qual encontra o ex-agente mais letal da CIA retirado das sombras.


Confira também: Cine Pipoca 8

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Livro: Um Escritor No Fim do Mundo - Viagem Com Michel Houellebecq À Patagônia de Juremir Machado da Silva

Michel Houellebecq é o escritor francês mais bem-sucedido das últimas décadas. Furiosamente cínico, desesperançado, e às vezes, surpreendentemente idealista, o estilo provocativo de Houellebecq divide público e crítica. Sua prosa cáustica, elegante e pornográfica é notada por onde passa, deixando rastros de amor e ódio. Mas o que há realmente por trás dessa fachada ferina? O que o encanta, emociona, afeta? Em Um escritor no fim do mundo, Juremir Machado da Silva, um dos poucos amigos de Houellebecq, nos brinda com lampejos de sua personalidade visionária. A reserva do francês, paradoxalmente, se derreteu exposta ao frio do extremo sul das Américas. Em meio à bela, intocada e selvagem natureza patagônica, o fechado Houellebecq, de poucas palavras e muitos enigmas, mostra-se uma pessoa cativante, afetuosa e divertida. Frente ao paredão de gelo do Perito Moreno, ou acompanhado de um belo vinho argentino, abrigado dos ventos cortantes que vem da Antártida, Houellebecq deixa escapar suas impressões sobre literatura. Fala de filhos, de pais, de utopias, do passado e do futuro, sem qualquer afetação. Pondera sobre a inspiração ou porque escreve. E faz uma reflexão sobre o poder terapêutico da linguagem, o valor da arte, o belo, o humor, a ironia, a cultura. Mais que um relato de viagem, Um escritor no fim do mundo é um misto de antropologia tardia e sociologia precoce. São várias as questões essenciais e metafísicas. Qual a diferença entre uma foca e um lobo-marinho? Vale a pena ter filhos quando se pode ter um cachorro? Como falar de literatura na tv? O que não está perguntado ou respondido, está sugerido. Ou imaginado. Houellebecq revela-se um bom cantor, um grande imitador e um excelente fotógrafo.