quarta-feira, 12 de março de 2014

Livro Supernova: o Encantador de Flechas - Livro I.

Imersa em uma ditadura ideológica, a isolada cidade de Acigam sofre com a ameaça da guerra civil. De um lado, a Guilda, um grupo que usa os ensinamentos da Ciência das Energias para exigir os direitos da população. Do outro, um governo tirano, com soldados especialistas em aniquilar magos, nome vulgar dado aos praticantes de tal ciência. No meio desse conflito vive Leran, um garoto prestes a se formar na escola e não sabe qual futuro pode ter em uma cidade como Acigam. Após o envolvimento dos membros de sua família na rebelião, ele percebe que também está fadado a participar da guerra e vive uma aventura alucinante para descobrir mais sobre a misteriosa ciência que permite encantar objetos com a energia dos elementos. Leran deverá conciliar suas preocupações com a irmã mais nova, a recente vida amorosa e o medo de ser capturado pelos terríveis silenciadores. Usando uma narrativa dinâmica e envolvente, Supernova promete entreter o leitor com muita ação, suspense e reviravoltas incríveis.


sábado, 8 de março de 2014

Linkin Park - Guilty All The Same (feat. Rakim) New Song.

video
Nova música da banda Linkin Park - Guilty All The Same, seu primeiro trabalho como banda independente.


Culpado do Mesmo Jeito (part. Rakim)

Diga-nos de novo
O que você pensa que devíamos ser
Quais são as respostas
O que é que não conseguimos ver
Diga-nos de novo
Como fazer o que você diz
Como cair em fileiras
Como não há outro jeito
Mas, ooh
Tentar novamente

Você é culpado do mesmo jeito
Muito doente para se sentir envergonhado
Você quer apontar o dedo
Mas não há ninguém para culpar

Você é culpado do mesmo jeito
Muito doente para se sentir envergonhado
Você quer apontar o dedo
Mas não há ninguém para culpar

Você é culpado do mesmo jeito

Mostre-nos de novo
Que nossas mãos são sujas
Que estamos despreparados
Que você tem o que precisamos
Mostre-nos de novo
Pois não podemos ser salvos
Pois o fim está próximo
Agora não há outro jeito
E, ooh
Você saberá

Você é culpado do mesmo jeito
Muito doente para se sentir envergonhado
Você quer apontar o dedo
Mas não há ninguém para culpar

Você é culpado do mesmo jeito
Muito doente para se sentir envergonhado
Você quer apontar o dedo
Mas não há ninguém para culpar
Não há mais ninguém para culpar
Culpado do mesmo jeito

Culpado do mesmo jeito
Você é culpado do mesmo jeito

Sim
Você já sabe como é
Vocês todos podem explicar que terra é essa
Em que um homem tem planos de ficar rico
Mas os planos dos chefes é juntar fortuna
Haverá um esquema para ganhar dinheiro
Uma divisão limpa
Absurdo do mesmo jeito, até a confiança é suja
Falam em "time", eles pegam o caminho da grana
Tudo que pensam é a conta do banco, posses e I'móveis
A custa de qualquer pessoa, sem vergonha
Com a consciência limpa
Sem arrependimentos, são livres de culpa
Mas alegam que não foi assim que me construíram
Cortina de fumaça antes da chama
Saiba, assim que se forem, qual será o plano
Digo que é hora de as coisas mudarem
Reorganizar aquele produto bom que fizemos barato
Qualquer coisa se for para ganhar mais
Sugar, manipular dizendo "isso é muito profundo"
Até não sobrar mais nada, mas ainda sou eu
Um autêntico hip-hop e rock, do pop e da rádio
E as gravadoras me matam
Tentam me forçar a exceder isso, de jeito nenhum
Você tem a amargura de dizer
"Quão real a realidade pode ser?"
Você me entende?
Sim, veremos
Se a ganância é a culpada
Gananciosos pela fama
Da tv ou um nome
Da mídia e do jogo
Para mim, vocês são todos iguais
Você é culpado

Você é culpado do mesmo jeito
Muito doente para se sentir envergonhado
Você quer apontar o dedo
Mas não há ninguém para culpar

Você é culpado do mesmo jeito
Muito doente para se sentir envergonhado
Você quer apontar o dedo
Mas não há ninguém para culpar
Não há ninguém para culpar
Culpado do mesmo jeito

Culpado do mesmo jeito
Culpado do mesmo jeito

quinta-feira, 6 de março de 2014