domingo, 22 de dezembro de 2013

Retrospectiva.















Coleção O Cemitério dos Livros Esquecidos de Carlos Ruíz Zafón.












Resumo do livro Diários do Vampiro – O Retorno: Meia Noite.


                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      Bling Ring: A Gangue de Hollywood - A geração vazia de Sofia Coppola.                       
     






Trailer do Filme A Menina que Roubava Livros (The book Thief).

domingo, 17 de novembro de 2013

Resumo do livro Diários do Vampiro – O Retorno: Meia Noite.

       O sétimo livro da série começa com Damon Salvatore humano depois que cheirou um buquê que Stefan conseguira de um kitsune na prisão do mundo das trevas. Arruinando a chance de Stefan realizar seu maior desejo, ser humano. Inconformado em voltar a tornar-se humano novamente, Damon usara uma esfera estelar para retornar ao mundo inferior e conseguir um sangue nobre para voltar a ser vampiro. Nesse processo Bonnie caiu junto com ele dentro do portal que levava ao mundo das trevas. Damon a deixa deixa trancada dentro de um quarto de pensão com 28 esferas estelares, que só tinha imagens e histórias, e sai em busca de uma princesa vampira que lhe dê sangue para se tornar um vampiro mais poderoso que antes. E ele encontra-a.
        Enquanto isso na casa da srta. Flowers, Meredith, Elena, Matt e Stefan estavam preocupados com Bonnie. Stefan anida estava muito fraco, mesmo alimentando-se de sangue humano a vários dias. Ele também se alimentava do sangue de Elena que era mais poderoso, mas tudo em pequenas doses. Até que um dia fora obrigado a alimentar-se decentemente, foi quando descobriu o segredo de Meredith. Ela fazia parte de uma família de caçadores de vampiros não ativa.
        Damon tentara fazer com que princesa o morde-se e conseguira com sua lábia de conquistador barato.
        Bonnie e Elena tivera uma experiência fora do corpo, juntas encontraram Alaric Saltzman que estava numa ilha chamada Unnei no Shima: ilha da danação. O local também fora alvo de dos kitsune ( no singular porque é uma expressão japonesa), agora só passava de ruínas antigas. Crianças possuídas e pessoas se mutilando alastrou-se por todo o vilarejo. Houve uma espécie de guerra civil entre crianças e adultos, (a chamada meia-noite), de acordo com a Dra. Célia Connor. Exatamente o que começara acontecer em Fell's Church. Elas só precisavam fazer com que Alaric visse uma mensagem que Elena deixara dizendo para mandar as fotos que tirara no local a Meredith. Ele viu e intrigou-se com o que vira.
        Elena percebera que Meredith ainda estava pálida, depois de uma longa doação de sangue a Stefan. Ela contou aos demais do pensionato da experiência fora do corpo e que encontrara Bonnie. Imaginavam-se quanto tempo tinham até a cidade se transformar em ruínas. Todos estavam reunidos na sala de estar em um silêncio mortal, quando Meredith contara sobre o bastam que carregara que pertencia a seu avô, sobre seu segredo de família que descobrira recentemente. Seus ancestrais eram chamados de caçadores matadores de vampiros, menos seus pais que desistiram. Elena perguntara se teria matado Stefan e respondera que não, ele seria uma ameaça, mas Damon... Caroline engravidara de Tyler Smallwood, o lobisomem, ela acusara Matt de ter abusado-a. Ela só completará a transformação quando tiver seus gêmeos, desde então já começara a se transformar. Sendo assim Meredith tem risco de ter um irmão gêmeo por ai.
        Damon quase esquecera Bonnie, mas ela em pleno desespero para sair daquele quartinho que mais parecia uma gaiola escapa e é captura como escrava foragida e dá de cara com shinichi depois que contara uma história que vira num dos globos. Pensara ser mais uma conto com o nome de: O Portão dos Sete Tesouros dos Kitsune. Que falava sobre a localização sobre dos portais. Dizia:
Numa planície de neve e gelo
O paraíso kitsune repousa.
E junto dali, o prazer proibido:
Seis portões para outros tesouros.”
Shinichi continuava a pressionar Bonnie a fim de saber onde vira a história.
        Meredith e Matt pensavam na falta que Bonnie fazia, no lugar em que preenchia. Meredith recebera o e-mail com as fotos que Alaric tirara da ilha. Stefan e Elena foram cobrir as janelas do porão com tabuas, mas isso não era o suficiente para distrair a mente dela das preocupações com Stefan, Bonnie... logo depois distraíram-se um com outro, trocaram sangue e sincronizaram suas mentes no auge alguém bate na porta.
        Matt saiu de manhã e passou pela cidade e fora para casa, no caminho encontrara uma cena de destruição dessas vista na TV. Perto de casa com sua lata-velha ao máximo sentira algo ruim, vira duas crianças atrás da lixeira em posições estranhas devorando algo que mexia-se tentando se libertar. Matt estava cercado de crianças de olhos negros algumas sujas de sangue, elas andavam se arrastavam, ele agarrara uma e colocou um post-it e o cerco estava fechando-se a sua volta. Matt pegara o saco que a criança estava comendo e não acreditou no vira era um bebê. Ao pôr um adesivo na criança a mesma falou que fora obrigada. Em seguida vira uma carro sendo cercado e saiu de casa no intuito de ajudar, mas eram policias a paisana e ele fora elevado sob crime de abuso contra Caroline Forbes.
        Enquanto isso Bonnie estava com shinichi correndo risco iminente de morte. Misao chegou pálida e trêmula, perguntara novamente tudo o que Bonnie sabia sobre a lenda, obtendo as mesmas respostas que seu irmão shinichi que esbofeteou-a até sair sangue do nariz. Misao insistia veemente em perguntar pela sua esfera e Bonnie dizia sempre o mesmo: que quando tentara puxar Damon para fora do portal caíram e que a esfera derramara todo seu liquido no chão. Num blefe depois vira a ira de shinichi, que ordenou que jogassem-na pela janela. Ela sentia sua morte e o vento forte da janela de um prédio muito alto, quando uma voz dizendo: “achava mesmo que iria ir sem um interrogatório completo?” era shinichi. Bonnie entrara no estado de torpor por saber que estava longe de seu fim, mas eis que de repente surgi Damon por trás dela. Já havia perdido a esperança. O kitsune encarava-o como tivesse sido golpeado quando fora ameaçado, ele e os outros. A seguir Damon resgatara Bonnie da janela rapidamente. Depois de ela voltar a si, a primeira coisa que disse foi: “guardiãs”. Passado o susto houve um breve beijo. No momento seguinte perguntara-o se recordaria de três coisas: uma estragara a morte de mártir dela; dois largara numa hospedaria de quinta; três supunha que nenhuma esfera fora roubada, logo não se pode roubar o que não existe. No quarto item Damon a interrompera, mas insistira e enviou por telepatia dizendo que sabia o caminho dos sete tesouros kitsune e uma esfera estelar gigante.
        Meredith estava com seus pais tentando entender o que havia de errado . Examinara as fotos que Alaric enviou. Depois foi até as Saitou pegar mais amuletos (post-it), Isobel oferecera-se para revisar as fotos da ilha. Desconfiou do porque Isobel ofegava tanto e lembrara que sofrera de palpitações. Marcara todos os símbolos das fotos e saiu correndo. Meredith começara a ligar as pontas Saitou nunca perguntara sobre Bonnie e Matt. Voltando a casa dos pais encontrara a rua vazia. Com o bastão na mão deparou-se uma cena trágica, o pai paralisado e a mãe aos prantos, Meredith sempre seca indagou se eles iriam contar o que de fato aconteceu com ela e seu avô. O pai começou a contar e foi interrompido ela sabia que não tinha sido o avô, mas sim um vampiro chamado Klaus. Deduzira até então, mas o que sucedera de fato foi: que ela estava bebendo o sangue do seu irmão que fora levado por Klaus. Ela refletira sobre a descoberta e perguntou ao pai se vira seu o irmão novamente e o ar de incredulidade golpeou-a ao ver os arquivos de uma caixa. Fora correndo a pensão da sra. Flowers contar as novidades a seu respeito.
        Matt estava na sala do júri decidido a enfrentar o que viesse. Tentaram fazer insinuações a ponto dele confessar o que não fez e fora levado ao tribunal vazio, exceto por Caroline seus advogados e do juiz. O julgamento foi cheio de protestos Caroline insistia na mesma história até cair em algumas contradições. Stefan, Elena e os demais que chegaram, Saber uivou e Caroline começou sua transformação em lobo cinza. Explicaram que Saber fora treinado e era inofensivo. Matt fora inocentado não havia como continuar o julgamento.
Stefan e Elena discutiam sobre a dieta dele e como ela planejava.

        Shinichi transformou-se em Stefan para poder entrar na pensão, sem sucesso logo Misao tentara o mesmo. Shinichi foi trancado no porão de raízes e depois a irmão dele. Elena e Meredith roubaram as chaves mestras dos kitsune. A pensão da Sra. Flowers foi infestada por malach. Sra. Flowers,Matt e Meredith usaram a chave para ir a casa de Matt. Stefan e Elena fizeram o seguinte pedido a chave “que os levassem onde estivesse Bonnie McCullough”, e foram parar no local exato onde a amiga estava, na casa de Lady Ulma. Stefan encontra o irmão descobre que voltou a ser vampiro e que planejava uma viagem rumo aos tesouros kitsune. Elena avistara Damon e fora na direção dele tão furiosa que, Bonnie e Stefan pasmos com tal reação. Damon um belo tapa na cara mas antes que ele desse o bote Stefan tirou Elena da reta. Lady Ulma cumprimentara os hospedes, contou sobre os acontecimentos depois que eles foram embora. Elena explicara como chegara ali, com as chaves kitsune. Em seguida Bonnie contou a Stefan como conhecera a lenda kitsune. Falaram com Lady Ulma e partiram no dia seguinte montados nos thurgs.
        Nos primeiros dias tudo era monótomo. A situação de Elena com Damon era cada vez mais cada vez mais tensa. Tentara conversar para equilibrar quando Bonnie apareceu em transe dizendo “a última meia-noite está chegando”, “esta noite finalmente as crianças finalmente estão prontas”, e desmaiara e Damon a segurou. A nevoa densa não deixava nenhum poder paranormal funcionar direito. Sem Elena perceber Damon abraçou-a e começou a falar da época em que os dois estiveram naquela dimensão. Ela o alerta que seu namorado estava dentro da carruagem, mas ele veio com desculpa que quando passasse a meia-noite seria tarde para dizer os seus sentimentos para com ela e depois a beijou. Elena só conseguiu sair de seus braços quando um nome surgira na sua mente “Stefan”.
        Damon a tinha novamente em seus braços mas, desta vez era suave como os beijos que ela consentira e acabara rendendo-se a eles. Dentro da carruagem tudo estava normal, nenhuma sombra de dúvida que Stefan não lera os pensamentos de dela, não por estar ocupado cuidando da de Bonnie mas, porque na opinião de Elena ele era um cavalheiro.
        A paisagem enfim mudara começaram a ver o lago prateado da morte também conhecido como lago de espelho. Chegaram lá o lago era congelado e instável. Deixaram Bonnie decidir qual lado pisar no gelo já que só ela conhecia a história. Todos fizeram suas mochilas com casacos e comida houvesse problema com os thurgs. A travessia prosseguia normalmente mas lenta até que, Elena ouviu o som que mais temia o gelo rachando. Bonnie conseguira atravessar o lago enquanto Elena voltava aos thurgs. Tentara montar mas errara, caíra na calda que a levou para dentro da água congelante e ferindo sua coxa. Finalmente conseguira montar, a questão era se manter aquecida aumentando assim a rixa dois irmãos Salvatore.
        Já era o dia da última meia-noite em Fell's Church.
        Enquanto isso em no mundo das trevas, depois de descansarem um pouco e continuaram na estrada nevoenta. Passara um tempo depararam-se com uma ponte entre um abismo. Bonnie surtara quando vira a altura e as condições da ponte, Elena reprimira um gritinho de “nem eu!”. Stefan influenciara Bonnie para conseguir atravessar, fora a primeira a começar indicando quais ripas eram seguras. Elena quase desmaiara mas, foi amparada por Damon e Stefan, e logo continuaram a atravessar. Assim que chegaram do outro lado da ponte avistaram uma caverna. Ela não aguentava mais as pecuinhas dos Salvatore, e de Bonnie sempre defendendo Damon em tudo. Mais tarde na caverna Damon mordera Elena que tinha esperanças de ver o menino que vivia dentro dele mas sua mente era uma muralha de aço.
        Matt e Meredith ficaram da madrugada ao amanhecer despejando gotículas da esfera estelar de Misao nas ruas da cidade, crendo que ajudaria em algo, e recolheram mais de trinta crianças normais mortas de medo. Meredith começara a perceber de que Inari e Obaasan fossem a mesma pessoa.
       Stefan e os outros finalmente encontraram o portão dos sete tesouro, passaram e Bonnie logo vira Sage. Ele acompanhara as aventuras deles como guardião do portal. Sage fora designado para lá como punição por seu pai. Mostrara cada portão antes de que fizessem a escolha. E elegeram o último portão que era um planeta com uma forma de vida, a grande árvore, envolvia tudo menos os lagos. Sage dera as orientações de seguir sempre a nordeste e que outros já tentaram e se serviram de nutrientes para a grande árvore.
        Meredith reunira as crianças para coletar mais informações, principalmente, se alguém ainda tinha um celular com internet e bateria, um gerador elétrico, e soube que o kitsune mandara se desfazerem dos eletrônicos. De repente a Sra. Flowers aponta para a bolsa falando que tem um gerador. Desesperada Meredith sentia falta de seu equilíbrio emocional de antes. Quando vai falar com a Sra. Flowers que a pensão fora destruída a velha oferece seu BlackBerry, Meredith pega e imediatamente pesquisa por “Orime” e “Inari”, descobriu que que os kitsune eram comandados por Inari. Vira uma imagem de dois kitsune com as patas dianteiras numa esfera estelar. Sua mente foi de encontro ao dia em que quebrara a perna esquiando, fora de encontro a árvore ao invés de desviar. Sentira mesma sensação do acidente. Recordou de cada detalhe que era para ter soado antes como alarme: da descrição de Isobel feita por Bonnie; da localização estranha do quarto de Isobel, pensara que as forças malignas se deslocavam para cima por isso não dera importância. A primeira vez que ouvira a palavra “kitsune” fora de Obaasan. Lembrara de quando Isobel reescrevera os amuletos alegando que sua avó estava quase cega. Segundo Sra. Flowers, Inari Obaasan não tinha parentesco nenhum com as Saitou. Ela as mantêm como reféns, obrigando-as a continuar a farsa.
        Elena e os demais andavam sem saber o que de fato procurar. Com uma falsa sensação de menor gravidade a meia luz e com raízes gigantescas. Deparavam-se com um imenso planeta e duas luas. Shinichi surgira entre eles dizendo que teria Elena de qualquer forma. Ela pergunta se ele não tinha que estar fazendo os preparativos para última meia-noite, e percebera que havia algo mais além dos kitsune. Misao se fundiu com shinichi sem muito êxito, iria pôr misao dentro da sua própria esfera estelar e a esconderia bem. Shinichi instigara Elena a sair da sua fingida tranquilidade até citar partes comprometedoras do seu diário. Aludiu sobre reino de Camelot e seu triângulo amoroso: rei Arthur, Guinevere e Lancelot. Na opinião dela amar era partilhar. Os Salvatore tiveram um dejavu. Shinichi continuou a destilar seu veneno sem dar tempo para ela explicar a citação em seu diário. O kitsune tentou atacar Bonnie, mas sua amiga o atingira no pé. Shinichi agarrara Bonnie e ela se ligou a ele, portanto, toda dor que o kitsune provocasse nela ambos sentiriam. Elena tentara mais um golpe em Shinichi, mas Stefan a deteve.
Duas caldas fantasmas foram cortadas do kitsune que gemera de fúria graças a Stefan. Damon decepou os pulsos de Shinichi, enquanto Stefan cortara outras caldas fantasmas. A cabeça do kitsune estava em chamas como um halo diabólico. Enquanto isso Elena cuidava de Bonnie, e pensava na cena que via: dois vampiros em sincronia, um sério, outro irônico. Ela percebera que eles já estavam entrando no modo 'ripper', e tirara eles da batalha com o kitsune derrotado. Mesmo que Shinichi morresse a cidade e nem as crianças seriam salvas, eles eram pequenas peças neste jogo. Shinichi não queria mais seguir as ordens de Inari. Depois que pronunciara estas palavras fora morto por algo tremendamente veloz. Todos se entreolharam perguntando-se o que aconteceu. Lembraram que Meredith dissera que os kitsune poderiam morrer pelo “pecado do remorso”. A seguir viram um brilho na escuridão Elena supôs que fosse a maior esfera estelar.
        A Sra. Flowers, seguia no carro junto carro junto com Matt e Meredith, não importava que fosse a sua última luta, já estava preparada. Chegaram na casa das Saitou, viram um pessoa de cabelos pretos e vermelho nas pontas, Inari. Olhava com desdém a transformação da Sra. Flowers em Theophilia “Theo”, uma linda jovem. Theo indagara porque ela não destruíra a cidade antes e se Katherine, Klaus, e Tyler, seguiram suas ordens. Inari só controlava os kitsune com os poderes de deidade que tinha. A sua esfera estelar era a maior dos mundos. Theo começara a dizer umas verdades há muito entaladas a Inari. Dissera que Inari tinha inveja da juventude (porque já era uma velha acabada e concentrara todo seu poder para voltar a ser jovem e poder comandar o evento. Assim esperava). Matt e Meredith olharam a casa pegando fogo com a Orime e Isobel. Meredith entrara na casa em chamas e chamara por Isobel e sua mãe. Matt resgatara orime logo na cozinha, enquanto Meredith partia em direção ao quarto de Isobel e encontrara ela amarrada e amordaçada pegou-a e saíram cambaleado de tanto inalar fumaça. Na frente da casa havia uma batalha sobrenatural acontecendo entre Theo e Inari. Theo estava a ponto de ser sufocada por Inari.
       A última meia-noite chegara.
       Inari fora morta com uma ajudinha do bastão de Meredith.
       Theo sentia as crianças nesse momento segurando armas de pé nos quartos dos pais, incapazes de lembrarem de como chegaram ali. Sentia-as perturbadas. Pressentia que algo muito além fora feito para que a profecia não se tornasse real. Voltara a ser a Sra. Flowers novamente.
        Enquanto isso no mundo das trevas, avistaram a maior esfera estelar que era tinha o tamanho de uma bola de praia. Agora só teriam que voltar ao portão, pelos era assim que pensavam. Só não contavam que a esfera estava sendo usada, enviando poder a seu dono, irradiando uma luz tão intensa que os cegavam. Bonnie teve a ideia de escalar o tronco da grande árvore até onde a esfera estelar estava e derrubá-la. Bonnie caíra, mas foi pega e arremessada por sombras. Damon fora estaqueado bem no coração pela árvore. Elena, negando-se a acreditar no que via pegou o machado e cortara o galho que mais parecia uma perna de aranha. Stefan já dava seu irmão como morto. Até que Elena ouvira Damon por telepatia ira profundando cada vez mais na medida que enfraquecia. Quando chegara no fundo de sua alma encontrara o menino que habitava seu íntimo e acalmando-o. A criança deixou um recado para cada um. Elena num ato de insanidade evoca o poder das “Asas da Destruição”. O tronco da grande árvore explodiu e a esfera estelar fora pulverizada. Ela jurara ficar até o seu último instante, não demorou muito a cabeça da criança pendera. Elena perdera muito sangue no corte que fez no pescoço tentando salvar Damon. Perdera a consciência quando voltou a si, já estava no portão do paraíso kitsune. Ainda recuperando os sentidos perguntara se era uma vampira, estava quase, por causa da grande quantidade de sangue que recebera de Stefan e Sage. Quis saber de Damon. A influência que Stefan e pusera nela não adiantou. Ela lembrara dos últimos momentos de Damon. Sage explodiu em ver todos se lamentando com cara de enterro e dizia ainda poderiam reparar os danos em Fell's Church.
        Saíram do Portal do Paraíso planejando como chamar a atenção das guardiãs, já que elas não podiam ma fortaleza de Sage, estariam esperando do lado de fora. Elena tinha seus próprios planos para corte celestial. Com as mochilas cheias de La Fontaine e outros tesouros abriram o portão, e deram de cara com as guardiãs que os levaram à corte celestial acusando de roubarem itens ilegais. Assim que os tesouros foram analisados, Stefan e os demais aproximaram-se das juízas. Uma mulher que estava por perto falara que isso era muito raro de acontecer, que ficassem submissos poderiam o pedido realizado. As guardiãs aceitaram reconstruir a cidade e devolver as vítimas dos malach, sob uma condição: Elena tornar-se guardiã. Explicara que não era a primeira vez que a vira, primeira foi quando Elena estava no carro com seus pais. Foram elas que provocaram o acidente, mas era para ter só uma vítima, Elena.
        Finalmente foi desvendado o enigma estranho que shinichi deixara “que um de nós tinha assassinado, e que não tinha nada a ver com ser vampiro ou morte piedosa...” tratava-se de Elena, do acidente que sofrera com os pais. Enchera-se de ira, agonia, perplexidade. Stefan assentiu para ela num gesto de “estou aqui para o que for”. Sage interrompera por telepatia dizendo que era impossível lutar, mas ela poderia exigir qualquer coisa. Então começou exigindo sua antiga vida de colegial de antes, como se o que vivera ultimamente fosse um pesadelo. Que quando acordasse estaria no seu quarto na casa de tia Judith. Além de querer que todos os trabalhos dos kitsune e klaus estivessem desfeitos e esquecidos. Queria todas as pessoas as de sua antiga vida, menos o Sr. Tanner, assim explicaria a vinda de Alaric Saltzman na escola. As guardiãs assentiram concordando. Foi quando pedira que trouxessem Damon de volta uma das guardiãs disse que era impossível por ele ser um vampiro. Só poderiam devolver a vida a seres comuns, humanos em geral, criaturas sobrenaturais e vampiros estavam além de seu alcance. No caso de Elena quando morrera vampira sua alma vagou pelo limbo espiritual porque seres superiores tinham planos para a tornar guardiã.
Soube que Obaasan era na verdade Inari e que controlava os kitsune, estava morta pelo esforço de seus amigos em Fell's Church, e pela destruição da esfera estelar.
        Elena inconformada com as guardiãs por não tentarem ressuscitar Damon, tentou evocar as “Asas da Destruição”, mas fora impedida por uma das guardiãs antes que o salão explodisse. O seres superiores nunca haviam visto nada tão mortal e queriam cortá-las imediatamente. O primeiro par de asas a serem cortados foram as “Asas da Redenção”, em seguida as “Asas da Purificação”, “Asas das Lembranças”, “Asas da Proteção”, e “Asas da destruição”. Depois de Elena não oferecer mais perigo, elas queriam seu sangue com desculpa de “Purificá-lo”. Ela quase fora drenada. Stefan pegou-a e com uma expressão feroz no rosto dirigida as guardiãs.
Ela começara a ouvir um sussurro bem distante por telepatia checou se era Bonnie ou Stefan, mas não era.
        Elena acordara em sua casa, no meio da noite e encontrara Stefan do lado de fora da janela. Conversa vai, conversa vem, ela pega um vidrinho que continha água da fonte da juventude, mas Stefan a impede de abrir. A memória de Damon nunca será esquecida por quem realmente o conheceu. Stefan e Elena recordavam os momentos que passaram com Damon, e ela dormira nos braços de Stefan horas depois da meia-noite.
        No mundo das trevas caía uma fina cinza. Bloqueando a luz solar, era como uma meia-noite eterna. Havia um corpo no chão: sem pulso, sem respiração, e atividade cerebral. Fora criando vida nas gotículas de de poder que caíam. O ser era composto de lembranças de uma garota de olhos azul escuros e outra de olhos castanhos. Elena e Bonnie.
        Algo se agitou no cérebro do ser, uma auto revelação. Um nome. Damon.


Obs:Pela obra ser extremamente repleta de detalhes não deu para fazer os resumos igual aos outros da série já postado anteriormente. (isso é minha opinião).
Qualquer coisa consulte o livro e pesquise um pouco de mitologia japonesa, fundamental para entender a história em si.

Poderá gostar também de: Resumo do Livro: FALLEN - Lauren Kate

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Bling Ring: A Gangue de Hollywood - A geração vazia de Sofia Coppola.

Em novo filme, cineasta provoca a reflexão.
Bling Ring – A Gangue de Hollywood, seu quinto longa-metragem, não traz personagens tão marcantes quanto seus longas anteriores, mas extremamente representativos de uma geração. No fim das contas, seu novo filme funciona melhor como proposta para reflexões sobre a sociedade atual do que pelas propostas cinematográficas. O que não tira seu valor, muito pelo contrário.

Trata-se de uma história real, tendo como base um artigo de Nancy Jo Sales, publicado na revista ‘Vanity Fair’. A ação começa quando o quieto Marc (o desconhecido Israel Broussard) se muda para Los Angeles. Hostilizado gratuitamente pelos outros alunos, encontra em Rebecca (Katie Chang, também desconhecida) sua única companheira no novo ambiente escolar. Mas ela tem um hobby pouco ortodoxo: gosta de entrar em casas de celebridades que moram nas luxuosas casas de Hollywood. Ela fuça, abre armários, deita na cama, age se aquela fosse sua própria vida. Marc a acompanha não por ter a mesma necessidade, mas para se sentir pertencente a um grupo, ter uma vida social, amigos, essas coisas que todo mundo gosta, sabe?

A impressão que tive ao assistir a ‘Bling Ring – A Gangue de Hollywood’ foi que Sofia quis fazer um filme tão superficial quanto seus personagens. Sua câmera parece ser fascinada pelas joias, roupas de grifes, sapatos, maços de dinheiro, casarões e a vida dos famosos, assim como seus personagens. A história é a seguinte: um grupo de jovens entediados que vivem em Los Angeles resolvem invadir as pouco monitoradas casas dos famosos para roubar – sempre se informando sobre onde eles estão nos sites que noticiam cada detalhe da vida dos famosos.

Mas, mais do que assaltar as casas, eles se sentem como se vivessem a vida dos famosos que assaltam. Curtem o ‘cômodo-balada’ de Paris Hilton – e voltam à casa dela para curtirem e explorarem mais seu closet -, admiram os vestidos de Lindsay Lohan, tiram fotos para as redes sociais e, claro, esbanjam em boates da capital do cinema norte-americano. Ao aproximar o olhar sobre esse grupo de jovens ladrões, ‘Bling Ring – A Gangue de Hollywood’ expõe o vazio de toda uma geração, que ama ostentar os frutos de seus roubos nas redes sociais e tem fascinação por celebridades. Existe uma superexposição não somente dos atores e atrizes de Hollywood, mas também dos personagens anônimos de ‘Bling Ring – A Gangue de Hollywood’.

Muito se fala da presença de Emma Watson no filme, coisas que uma série de sucesso como ‘Harry Potter’ no currículo fazem com um ator. Ela interpreta, de fato, uma das personagens mais interessantes: uma menina que não frequenta a escola e é educada pela mãe tendo como base preceitos do livro ‘O Segredo’. Não podia sair coisa boa daí. Cínica, passa a aplicar os ‘ensinamentos’ da obra em seus depoimentos à polícia e imprensa.

Em uma cena, uma das personagens conta que vai ficar ‘catando lixo o resto da vida’, punição após ter sido flagrada batendo um carro, o qual dirigia alcoolizada. Sentenciada, ela acaba se sentindo como as celebridades que admira nos tabloides. Afinal, se os famosos nos quais ela se espelha também estão sendo presos e julgados por crimes, cometê-los coloca esses personagens no mesmo patamar dos jovens que estão sempre sob os holofotes.

‘Bling Ring – A Gangue de Hollywood’ se aproxima dos outros filmes do Sofia exatamente nesse vazio de seus ‘heróis’. O tédio de Maria Antonieta não é completamente do tédio destes personagens, que, sem valores morais definidos, assaltam como se fosse algo comum. É essa a geração que cresce nas ruas de Los Angeles, em meio a celebridades tão vazias quanto os próprios jovens. Não somente em Los Angeles, mas em qualquer grande cidade, como na casa vizinha à sua. Ou mesmo na sua.

fonte: msn.com.br

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Coleção O Cemitério dos Livros Esquecidos de Carlos Ruíz Zafón.

Best-seller mundial, o espanhol Carlos Ruiz Zafón é um sucesso literário. Ganhou prêmios de literatura importantes e, se consagrou mundialmente com a Coleção O Cemitério dos Livros Esquecidos. Neste Kit, reunimos os três volumes da saga. São eles:

Livro - A Sombra do Vento - Coleção O Cemitério dos Livros Esquecidos - Vol. 1
É uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo.
Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar.
Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível; em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de A Sombra do Vento do também barcelonês Julián Carax.
O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu.

Livro - O Jogo do Anjo - Coleção O Cemitério dos Livros Esquecidos - Vol. 2
Aos 28 anos, desiludido no amor e na vida profissional e gravemente doente, o escritor David vive sozinho num casarão em ruínas. É quando surge em sua vida Andreas Corelli, um estrangeiro que se diz editor de livros. Sua origem exata é um mistério, mas sua fala é suave e sedutora. Ele promete a David muito dinheiro e sua simples aparição parece devolver a saúde ao escritor. Contudo, o que ele pede em troca não é pouco. E o preço real dessa encomenda é o que David precisará descobrir.
Em O Jogo do Anjo, o catalão Carlos Ruiz Zafón explora novamente a Barcelona do início do século XX, cenário de seu grande êxito internacional A Sombra do Vento.

Livro - O Prisioneiro do Céu - Coleção O Cemitério dos Livros Esquecidos - Vol. 3
Barcelona, 1957. Daniel Sempere e seu amigo Fermín, os heróis de A Sombra do Vento, estão de volta à aventura para enfrentar o maior desafio de suas vidas. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente.
Quando tudo começava a dar certo para eles, um personagem inquietante visita a livraria de Sempere em uma manhã em que Daniel está sozinho na loja. O homem misterioso entra e mostra interesse por um dos itens mais valiosos dos Sempere, uma edição ilustrada de O Conde de Montecristo que é mantida trancada sob uma cúpula de vidro. O livro é caríssimo, e o homem parece não ter grande interesse por literatura; mesmo assim, demonstra querer comprá-lo a qualquer custo.
O mistério se torna ainda maior depois que o homem sai da loja, deixando no livro a seguinte dedicatória: "Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro". Esta visita é apenas o ponto de partida de uma história de aprisionamento, traição e do retorno de um adversário mortal. Daniel e Fermín terão que compreender o que ocorre diante da ameaça da revelação de um terrível segredo que permanecia enterrado há duas décadas no fundo da memória da cidade.
Ao descobrir a verdade, Daniel compreenderá que o destino o arrasta na direção de um confronto inevitável com a maior das sombras: aquela que cresce dentro dele. Transbordando de intriga e emoção, O Prisioneiro do Céu é um romance em que as narrativas de A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo convergem e levam o leitor à resolução do enigma que se esconde no coração do Cemitério dos Livros Esquecidos.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

TRAILER DO LONGA "JOBS" COM ASHTON KUTCHER.

A Playarte divulgou o trailer oficial do longa “JOBS” para o Brasil. Com legendas  em português, o vídeo foi lançado em uma ação de parceria da distribuidora com o apresentador Marcelo Tas.

O filme conta a história da ascensão de Steve Jobs, de rejeitado no colégio até se tornar um dos mais reverenciados empresários do universo da tecnologia no século 20. A trama passa pela jornada de autodescobrimento da juventude, pelos demônios pessoais que obscureceram sua visão e, finalmente, pelos triunfos que transformaram sua vida adulta. Jobs é interpretado por Ashton Kutcher.
O filme estreia no Brasil dia 6 de Setembro. Veja abaixo o trailer legendado:

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Filmes Para Assistir Nas Férias.

Há anos enviado de Krypton, um avançado planeta alienígena, à Terra, Clark sofre com a derradeira questão: Por que estou aqui? Moldado pelos valores de seus pais adotivos, Martha e Jonathan Kent, Clark logo descobre que ter super-habilidades significa tomar decisões muito difíceis. Mas quando o mundo mais precisa de estabilidade, ele é atacado. E agora, suas habilidades serão usadas para manter a paz ou partir para um tudo ou nada?
Elenco: Henry Cavill, Amy Adams, Russell Crowe, Michael Shannon, Diane Lane, Kevin Costner, Antje Traue, Laurence Fishburne, Jadin Gould.

Gerry Lane, representante da ONU, viaja pelo mundo em uma corrida contra o tempo para impedir devastação da humanidade por zumbis
Elenco: Brad Pitt, Mireille Enos, David Morse, Matthew Fox, David Morse, James Badge Dale, David Andrews.


sábado, 20 de abril de 2013

Antiviral o Mais Novo Filme de Brandon Cronenberg.

Na sátira futurista e sombria de Brandon Cronenberg, 'Antiviral', o tempo em que as celebridades davam autógrafos há muito não existe mais. Inspirado num sonho que teve durante uma gripe forte, em 2004, o primeiro longa de Cronenberg mergulha o público num mundo que adoece por causa do vício nas celebridades. Nesse universo bizarro, fãs pagam milhões de dólares para serem infectados com vírus colhidos de astros doentes ‒ e fazem de tudo para possuir a carne clonada dos ricos e famosos e interagir mais 'intimamente' com os heróis de Hollywood.
Por mais estarrecedor que pareça, esse laboratório de perversidade faz todo o sentido do mundo para o filho de 33 anos do aclamado cineasta David Cronenberg – o homem responsável por clássicos como 'Videodrome - A Síndrome do Vídeo', 'Scanners - Sua Mente Pode Destruir' e 'Calafrios'.
'Depois de ter esse sonho febril, fiquei obcecado com a ideia de que alguma coisa do corpo de outra pessoa tinha se instalado dentro de mim e estava me deixando doente', disse Cronenberg no Festival de Cinema de Toronto de 2012. 'Quanto mais eu pensava sobre essa intimidade biológica estranha que compartilhamos quando adoecemos, mais eu sabia que tinha encontrado uma metáfora que podia usar para discutir os custos sociais e morais da idolatria às celebridades ao extremo – até ao ponto de ser grotesca e perigosa.'
Por mais estranha que seja, a fascinante história de Cronenberg se concentra em Syd March (o astro de 'X-Men: Primeira Classe', Caleb Landry Jones), funcionário de uma clínica que passa os dias comprando lotes de vírus de celebridades doentes para injetá-los nos clientes.
'Não estou querendo prever o apocalipse; além do mais, se o pessoal quiser o meu DNA um dia, maravilha. Dou até de graça', brinca Cronenberg. 'Só estou levando essa mania de hoje de 'entrar' no mundo dos famosos um pouco mais além.'
Para reforçar o salário que ganha na clínica, March contrabandeia os vírus no próprio corpo para vendê-los no mercado negro. O plano, além de dar certo, se mostra lucrativo para todos os envolvidos ‒ mas tudo muda depois que ele se injeta uma versão rara que acaba matando a nova queridinha de Hollywood (Sarah Gadon).
A versão final – seis minutos mais curta do que a exibida no Festival de Cannes 2012 – é uma explosão visceral, muitas vezes nojenta, de visões, sons e imaginação. De fato, alguns críticos compararam 'Antiviral' aos primeiros filmes do Cronenberg pai ‒ detalhe com o qual o Cronenberg filho não concorda.
'Meu pai fez filmes incríveis e até entendo quem diga que a fruta não caiu longe da árvore, mas acho que o meu trabalho foi influenciado por outras pessoas: Saul Bellow, Kurt Vonnegut, Franz Kafka. Não apostei no cinema para ser cópia carbono do meu pai', diz ele.
Quando jovem, em Toronto, Cronenberg não se interessava por filmes. 'Durante muito tempo nem pensei no assunto', confessa ele. Desde o fim da adolescência e até os vinte e poucos, ele escrevia e estudava Filosofia e artes visuais, mas ainda sentia que faltava alguma coisa.
'Em termos criativos, minha vida era muito dispersa', conta. 'Não sabia bem o que queria fazer e estava chegando numa idade em que precisava tomar decisões e arrumar um emprego.'
Em 2004, aos 24 anos, Cronenberg se matriculou no curso de cinema da Universidade Ryerson, em Toronto, e começou a se aprofundar na forma de arte que tinha desprezado a vida inteira.
'Em vez de continuar fugindo, finalmente percebi que o cinema poderia reunir todos os meus interesses criativos de uma forma totalmente nova ‒ e é claro que eu não ia perder essa chance só por causa das ideias preconcebidas dos algumas pessoas sobre mim', declara.
Ainda assim, o cineasta é grato pelas lições que aprendeu vendo o pai construir a própria carreira.
'Nada me surpreende nessa indústria. Há muitos altos e baixos. A única coisa que me espantou foi a facilidade com que consegui concluir o primeiro filme. Não sei como será o próximo, mas sinceramente espero dar a mesma sorte', conclui ele.

Fonte:msn.com.br

Anna Kendrick: há vida após 'Crepúsculo'.

Há atores que medem sua fama pelo número de Óscares; outros, pelos milhões de dólares que recebem ou pelos elogios e críticas favoráveis. Anna Kendrick mede a sua em… cachorros-quentes.
Enquanto rodava o independente 'Drinking Buddies' em Chicago, a estrela de 'Crepúsculo' foi a uma lanchonete famosa na cidade, a Hot Doug's.
'Acredite se quiser, mas tem um cachorro-quente que leva meu nome', conta a atriz, rindo. 'É bem apimentado e se chama Anna Kendrick, sim. Tem também o Brigitte Bardot, o que me deixou muito honrada. Se é para acabar virando sanduíche, então que pelo menos seja em boa companhia.'
Quer dizer que se eu for a Chicago vou encontrar Anna Kendrick comendo no Hot Doug's?
Talvez não. Sem saber, fiz uma pergunta delicada.
'Como a gente estava no meio das gravações, não tinha muito tempo', ela explica, 'e o negócio é que sempre tem fila no Doug's. Aí o pessoal da produção acabou ligando para lá e perguntando se eu podia passar na frente'.
'Um dos assistentes foi comigo', continua, 'e enquanto a gente comia, recebeu um chamado no walkie-talkie para voltar para o set. Agradeci ao Doug, autografei o cardápio, saí correndo e entrei no carro'.
'Só quando chegamos é que me toquei que tinha saído sem pagar!'
Apesar de ter se tornado uma fugitiva do Hot Doug's, a vida anda boa para Anna. Ela se tornou famosa na pele de Jessica, a melhor amiga humana de Bella Swan em 'Crepúsculo' (2008) e as três sequências; foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por seu trabalho como a novata de 'Amor Sem Escalas' (2009) e agora pode ser vista em 'Sem Proteção', de Robert Redford, atualmente em cartaz em circuito limitado nos EUA.
'Trabalhar com Robert Redford foi incrível', conta ela durante a entrevista por telefone. 'É uma daquelas coisas que vão além das palavras. Não dá nem para dizer que era um dos meus sonhos porque nem ousava pensar no assunto. Acho que só vê-lo de pertinho já era o sonho da minha mãe.'


'Ela sempre foi superfã dele', acrescenta. 'Ligar para ela para dizer que consegui o papel foi ainda mais divertido.'
A atriz estava no meio das filmagens de outros dois filmes quando foi chamada para fazer 'Sem Proteção'.
'Meu agente assim, na maior: 'Anna, você não precisa aceitar se não quiser porque sei que está muito ocupada'', ela conta. 'Eu só respondi: 'Como assim? É claro que tenho que aceitar e nada vai me fazer mudar de ideia'.'
Trabalhar com Redford, que além de ser um astro lendário é diretor premiado, foi tudo o que ela esperava e mais um pouco.
'Ele é brilhante e muito gentil', resume. 'Superou todas as minhas expectativas.'
O drama é um filme pequeno e intenso sobre um ex-ativista dos anos 60 (Redford) que viveu sob disfarce durante décadas ‒ até um repórter xereta começar a investigá-lo e forçá-lo a fugir novamente. Anna é a agente do FBI à sua caça.
'Para mim o que importa é se o roteiro é interessante', ela revela. 'Sério, o tamanho do filme não me interessa. Sim, há franquias grandiosas por aí, mas não sou lá muito fã desse tipo de esquema. Adorei 'Os Vingadores' (2012) porque achei uma sacada muito inteligente; já um trabalho como 'Sem Proteção' é um prazer porque é fora dos padrões. Não aparece toda hora e custa menos, mas vale muito a pena.'
'É o tipo de oportunidade que não dá para deixar passar.'
Anna se confessa um pouco preocupada com o futuro do cinema.
'Sinceramente, é hora de parar para pensar no que está acontecendo com os filmes de hoje', dispara ela. 'Não sei se essa coisa de tanta tecnologia, tipo poder ver um longa no celular, é coisa boa. Daqui a pouco só vai ter filme de dez minutos para o povo ver enquanto toma o café da manhã.'
'Acho que é hora do setor evoluir e se reinventar.'
Nascida em Portland, no Maine, Anna cresceu com o irmão mais velho, o ator Michael Cooke Kendrick, filha de um contador e uma professora de História ‒ e descobriu bem cedo que queria seguir a carreira de atriz.
'Tive uma vez uma professora de balé que era russa', ela relembra, 'e vivia dando lição de sabedoria. Um dia ela me disse: 'Se você conseguir se ver feliz fazendo qualquer outra coisa que não dançar, então é nela que deve investir''.
'Foi quando decidi parar de dançar porque me imaginava, sim, fazendo muitas outras coisas', confessa. 'Não era apaixonada pela dança, mas sim pela atuação. Foi exatamente o que ela me disse. Não foi nem uma questão de escolher.'
'A verdade é que se eu ouvisse outra pessoa dizer o que eu acabei de lhe contar, ia sentir uma tremenda vergonha por ela', acrescenta, 'mas é a mais pura verdade'.
Anna começou a atuar aos dez anos, viajando constantemente para fazer testes em Nova York. Estreou na Broadway como a jovem Dinah Lord em 'High Society' (1998) e, aos doze, foi a segunda pessoa mais jovem indicada a um prêmio Tony. No cinema, começou na comédia musical 'Camp' (2003) e apostou nos gêneros mais variados, como 'Elsewhere' (2009), 'Scott Pilgrim Contra o Mundo' (2010), '50 Por Cento' (2011) e 'O Que Esperar Quando Você Está Esperando' (2012).
É dela também a voz que deu vida à adolescente Courtney Babcock de 'ParaNorman' (2012), sua primeira dublagem.
'Acabei indo para o estúdio gravar de pijama só uma vez, só para dizer que fui', conta ela, rindo, sobre o mito que persegue esse tipo de trabalho.
Depois disso, atuou no sucesso 'A Escolha Perfeita' (2012), que já tem planos para uma sequência; também vai estrelar 'Get a Job' com Bryan Cranston, comédia sobre uma recém-formada que luta para encontrar um emprego, e aparecer em 'Rapture-Palooza' como uma das adolescentes que lutam para escapar de um apocalipse religioso.
A única coisa que com certeza ela não fará mais é outro 'Crepúsculo', já que com a segunda metade de 'Amanhecer' (2012), na qual Anna não aparece, a saga chegou ao fim.
'Ainda é meio estranho pensar que não vai pintar mais nenhum 'Crepúsculo'', declara ela, 'afinal foi uma coisa que fez parte da minha vida por muito tempo. É mais ou menos como se o seu restaurante favorito fechasse; você nem consegue ir para ouro lugar'.
'Não é que eu tenha ficado chateada, nada disso', prossegue. 'É que, de vez em quando ainda me pego pensando onde serão as próximas filmagens.'
Anna sabe que nem que quisesse poderia se esquecer da experiência ‒ e tudo por causa dos fãs, conhecidos como 'Twi-hards'.
'Uma vez uma menininha me viu, gritou e começou a correr em círculos feito um cachorrinho', conta ela, rindo. 'Aí ela perguntou se eu podia adicioná-la ao meu Facebook.'
Anna fez cinco filmes em 2012, além de um clipe musical e a dublagem num episódio de 'Uma Família da Pesada', o que admite ter sido um pouco de exagero.
'Trabalhei demais', constata ela. 'No fim do ano eu estava exausta.'
Apesar disso, ela pretende continuar sendo uma das atrizes mais ocupadas de Hollywood.
'Depois de 'Amor Sem Escalas', estabeleci como meta minha encontrar o projeto perfeito', explica. 'A princípio, não sabia se aceitava '50 Por Cento', mas aí parei e pensei: 'Quero trabalhar porque amo meu trabalho. Não é o que importa? Quero estar no set'.'
'Sair para trabalhar me deixa feliz', ela conclui, 'e sei que não devo achar que todo filme tem que se encaixar num plano perfeito para o meu futuro. A vida não pode ser planejada; o negócio é respirar fundo e deixar rolar'.

Fonte:msn.com.br

terça-feira, 26 de março de 2013

Jack O Caçador de Gigantes.


Uma guerra antiga se reinicia quando Jack, um jovem trabalhador do campo, abre um portal entre o nosso mundo e uma raça de gigantes apavorantes. Soltos na Terra pela primeira vez depois de séculos, os gigantes tentam reconquistar seu território que foi perdido, forçando-o a entrar na batalha de sua vida para impedi-los. Lutando por um reino e seu povo, e pelo amor de uma corajosa princesa, Jack fica frente a frente com os guerreiros.
Elenco: Nicholas Hoult, Stanley Tucci, Bill Nighy, John Kassir, Ewan McGregor, Ian McShane, Warwick Davis, Eddie Marsan, Eleanor Tomlinson, Ewen Bremner
Direção: Bryan Singer
Gênero: Aventura
Duração: 114 min.
Distribuidora: Warner Bros.

    

segunda-feira, 18 de março de 2013

Brasil Beco Quase Sem Saída.

ola! sei que este tipo de assunto não tem nada haver com que escrevo normalmente, mas achei bastante reflexivo e importante.
Investimento inócuo – Hamilton Werneck.

Em meio aos debates sobre a distribuição dos royalties do petróleo, a presidenta da República afirmou em reunião com governadores que todo este dinheiro proveniente do pré-sal deveria ser investido em Educação, ou não resolveríamos o problema. Mas qual? A estrutural curricular, os programas de ensino, a metodologia aplicada a formação dos professores estão fora de época. O problema é de todo o sistema educacional.
O brasil passou 450 anos imitando a Europa e há 60 anos copia os Estados Unidos. A realidade é que os dois modelos estão com sérios problemas, e o Brasil precisa se convencer de que deve escolher o seu modelo, olhar-se no espelho, decidir a própria fisionomia e decidir. Não há que imitar ninguém. A educação sofre do mesmo problema: ela também imita.
Se observarmos os últimos dados Ideb, verificaremos que, no Ensino Médio, as metas serão atingidas apenas em 2053! Isso significa que esta e a outra geração perdida. Vale dizer que os idosos do futuro não terão quem os sustente. Não atingimos meta alguma quanto à conclusão na idade certa nos ensino Básico e Médio. Alguns estados só conseguem que 24% de seus alunos concluam o Ensino Médio aos 19 anos. Só aos 16 anos é que atingimos o percentual satisfatório a conclusão do Ensino Fundamental. Com isso, a educação custa o dobro, os professores ganham a metade, e o país não progride.
Portanto, aplicar as verbas do pré-sal neste é suicídio. O que se auferir como verba nova para a Educação deverá ser aplicado na desconstrução deste modelo seriado, cartesiano e nada criativo. Professores precisam de melhor formação, a cobrança de eficiência nas escolas deverá ser exigida, assim como assiduidade quanto aos compromissos docentes. Se não tivermos outros programas, outros currículos, outros mestres e outra escola, de nada adiantará o investimento.

Fonte: O Dia.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Livro Éramos Jovens na Guerra - Cartas e Diários de Adolescentes Que Viveram a Segunda Guerra Mundial.

Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, o contexto de violência inevitavelmente penetrou na consciência e nas palavras de muitos jovens. Éramos jovens na guerra acompanha as cartas e os diários de 16 adolescentes, às vezes de lados opostos do conflito, que escrevem de forma direta e persuasiva sobre suas reações e pontos de vista. São ingleses, franceses, americanos, japoneses, poloneses, alemães e russos: cada um com uma história única para contar. Tanto jovens de países do Eixo quanto dos Aliados conviveram diretamente com a fome, a morte e o medo. A intensidade dos relatos presentes neste livro reflete a dor pela perda, o temor de ocupações, invasões e bombardeios, além do receio daqueles que tiveram seu futuro posto em xeque. As autoras relembram o famoso diário de Anne Frank, morta aos 15 anos no campo de concentração de Bergen-Belsen. Elas levam em conta, no entanto, que os relatos de Anne contêm dramas comuns a tantos outros jovens da época. Muitas das histórias apresentadas em Éramos jovens na guerra acabaram fragmentadas ou encerradas de forma abrupta. Somente três destes jovens sobreviveram. Alguns lutaram e morreram na guerra, outros sucumbiram à fome; muitos foram separados de suas famílias. Todos se viram forçados a amadurecer e tiveram suas vidas transformadas por suas experiências. São relatos que ajudam a construir uma imagem comovente da esperança, medo, preconceito e alegria, de uma juventude que presenciou os horrores de uma guerra mundial.

terça-feira, 12 de março de 2013

Novo Look de Nina Dobrev a Elena de Diários do Vampiro.

Nina Dobrev, Elena Gilbert, surgi com um look mais desponjado a partir do episódio 17 da quarta temporada.O novo estilo marca o desligamento da humanidade da personagem que Nina vive em The Vampire Diaries.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Livro Cypherpunks: Liberdade e o Futuro da Internet - Julian Assange.

"Este livro não é um manifesto. Não há tempo para isso. Este livro é um alerta.” Julian Assange, na introdução de "Cypherpunks".

 "Cypherpunks – liberdade e o futuro da internet" é o primeiro livro de Julian Assange, editor chefe e visionário por trás do Wikileaks, a ser publicado no Brasil com o selo da Boitempo. O livro é resultado de reflexões de Assange com um grupo de pensadores rebeldes e ativistas que atuam nas linhas de frente da batalha em defesa do ciberespaço (Jacob Appelbaum, Andy Müller-Maguhn e Jérémie Zimmermann). Apesar de a internet ter possibilitado verdadeiras revoluções no mundo todo, Assange prevê uma grande onda de repressão, a ponto de considerar a internet como uma possível ameaça à civilização humana devido à transferência do poder de populações inteiras a um complexo de agências de espionagem e seus aliados corporativos transnacionais, que não precisarão prestar contas pelos seus atos. O livro reflete sobre a vigilância em massa, censura e liberdade, mas o principal tema é o movimento cypherpunk, que defendem a utilização da criptografia e métodos similares como meios para provocar mudanças sociais e políticas. Fundado no início dos anos 1990, o movimento atingiu o auge de suas atividades durante as “criptoguerras” e após a censura da Internet em 2011 na Primavera Árabe. Desde junho deste ano, quando conseguiu asilo político na Embaixada do Equador em Londres temendo um revés diplomático que o entregasse às autoridades norte-americanas, Assange tem se dedicado a promover debates sobre a sociedade contemporânea com grandes intelectuais de todo o mundo e foi dentro deste contexto que escreveu Cypherpunks.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Dezesseis Luas - Trailer.

"Bemvindo a uma nova espécie de crepúsculo." Estreia dia 1º de março nas telonas. E me aparece muito bom (ou pelo menos o material de divulgação é).

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Série Touch 2ª temporada.



Touch – A série continua contratando atores que passaram por 24 Horas, produção estrelada por Kiefer Sutherland, que agora lidera o elenco de Touch. Mykelti Williamson (visto na oitava e última temporada de 24 Horas) será um detetive da polícia de Los Angeles, em participações recorrentes. Já a atriz Annie Wersching, que em 24 Horas interpretou a agente Renee Walker, será vista em um episódio de Touch interpretando uma terapeuta. Também no elenco recorrente da segunda temporada da série está Frances Fisher (Titanic, Eureka), uma das responsáveis pela Aster Corps, organização interessada nas habilidades de Jake (David Mazouz).
Segundo o TV Line, Maria Bello (Prime Suspect) deixou o elenco da série estrelada por Kiefer Sutherland. A saída teria sido uma decisão tomada pela atriz e pelos produtores. Maria interpreta Lucy Robbins, mãe de Amelia, uma jovem que tem os mesmos problemas que Jake. Ela ainda será vista nos episódios produzidos para a segunda temporada de Touch, que encerrou as filmagens no início do ano. Desta forma, caso a série seja renovada para a terceira temporada, ela já não contará com a presença da atriz.

Ver a série completa em: www.dailymotion.com/sramaia

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Chegou as lojas brasileiras o box do Harry Potter com 31 discos e acessórios.

Chegou o mais novo e esperado material de Harry Potter, o box custa a bagatela de 2.000 reais no brasil no exterior a metade e vem 31 discos de blu-ray e dvd. Além de ilustrações inéditas de todos os filmes, uma horcrux, e um mapa completo de hogwarts.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Não Há Dia Fácil - Um Líder da Tropa de Elite Americana Conta Como Mataram Osama Bin Laden

Não há dia fácil é um retrato da vida nas equipes do Seal e um relato fiel da Operação Lança de Netuno, realizada em 1º de maio de 2011, que resultou na morte do terrorista Osama bin Laden.

Desde a pane no helicóptero Black Hawk — que quase fez com que a missão fosse abortada — até o comunicado pelo rádio via satélite confirmando que o alvo estava morto, a operação dos vinte e quatro Seal na propriedade secreta de Bin Laden é recontada em mínimos detalhes.

Das ruas de Badgá ao resgate do capitão Richard Phillips no oceano Índico; das montanhas ao leste de Cabul ao terceiro andar do esconderijo de Osama bin Laden em Abbottabad, no Paquistão, Não há dia fácil coloca o leitor dentro de uma das mais surpreendentes tropas de elite do mundo.

Mark Owen, membro do Grupo para o Desenvolvimento de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos, mais conhecido como Equipe Seis do Seal, foi líder de uma das mais memoráveis operações especiais da história recente, assim como de inúmeras outras missões que nunca chegaram às manchetes.

Não há dia fácil põe o leitor além das linhas inimigas. Não perca.

O nome verdadeiro do autor, assim como o de todos os Seal mencionados no livro, foi trocado por motivos de segurança.

MARK OWEN (pseudônimo) foi membro do Grupo para o Desenvolvimento de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos, o DEVGRU, mais conhecido como Equipe Seis do Seal. Em seus muitos anos como Seal da Marinha, participou de centenas de missões. Foi chefe de equipe na Operação Lança de Netuno, em Abbottabad, Paquistão, em 1º de maio de 2011, que resultou na morte de Osama bin Laden. Owen foi um dos primeiros homens a adentrarem no esconderijo do terrorista e testemunhou, em primeira mão, a sua morte.

KEVIN MAURER cobre as atividades das forças de operações especiais norte-americanas há nove anos. Trabalhou como repórter das Forças Especiais em seis ocasiões no Afeganistão. Em 2006, passou um mês com unidades de operações especiais no leste da África e acompanhou as forças americanas em missões no Iraque e no Haiti.

MAIS...